ESPECTADOR PROFISSIONAL

À TÍTULO DE BATISMO

Ontem, quando coloquei o adjetivo CRÓTICA na matéria de um de nossos colaboradores, ele mesmo achou que eu havia cometido um erro de digitação na edição da matéria. Não, era um neologismo que tomei de empréstimo de um dos artigos sobre crítica da revista Boca de Cena, editada pelo Festival Latino-Americano (FilteBahia) da Bahia que, em miúdos, define um híbrido entre a crônica e a crítica, uma espécie de crônica opinativa.

Pensei a noite toda no problema que esse nome poderia causar, porque é um conceito “novo” e pouco difundido. Quiça pensassem que era pejorativo, descredibilizando o autor e o texto.

Por isso rebatizei a sessão como ESPECTADOR PROFISSIONAL, termo que nada tem a ver com o que Jerzy Grotowisky corrobora em artigo Espectador de Profissão - referindo-se ao ofício do diretor, mas que extraí de outro artigo da citada revista e que, em linhas gerais, define uma filiação ao “olhar do crítico” em detrimento do “olhar crítico”, ou seja mais subjetiva do que a crítica canônica se propõe (embora nem sempre consiga) ser.

Isso não desmerece nossos ESPECTADOR(es) PROFISSIONA(is)L, só nomeia que há a diversidade e como a respeitamos, resolvemos destacá-la batizando-a.

ESPECTADOR PROFISSIONAL: CIA ABERTA ADAPTA PARA O PALCO LIVRO DE BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

VERNELHO AMARGO

VERNELHO AMARGO

SÃO PAULO- O grupo carioca, Companhia Aberta, depois de um ano e três temporadas de sucesso no Rio, finalmente chega a São Paulo com a montagem Vermelho Amargo, baseada na obra do poeta mineiro Bartolomeu Campos Queirós, que faleceu em 2012. A adaptação para o palco do livro — vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura/2012 como melhor livro do ano — é de Dominique Arantes e Diogo Liberano, que dirige o espetáculo. A temporada paulistana no SESC Pinheiros é curta, sessões somente sexta e sábado, até final de agosto.

De acordo com o diretor, o objetivo do grupo foi transpor para o palco a poesia de Bartô, como carinhosamente o escritor era conhecido:
“A montagem é um olhar nosso sobre o Vermelho Amargo. Um olhar feito por muitos olhos, tal qual um céu estrelado. Um olhar desenhado por muitas vozes e profundamente tingido pelo amadurecer do caminho”, argumenta Diogo Liberano.

A peça tem dois momentos narrativos bem distintos: Continue lendo

Luto: Ariano Suassuna morre aos 87 anos

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

ARIANO SUASSUNA

ARIANO SUASSUNA

Poeta, dramaturgoromancistaensaísta e autor de pérolas como Auto da Compadecida O Casamento Suspeitoso, no teatro, e o romance A Pedra do ReinoAriano Suassuna, foi mais do que um intelectual. Sua historia é de grande importância na cultura brasileira e na divulgação da linguagem nordestina.

Segundo o doutor em Letras e especialista em Literatura, Rodrigo Franklin, sua obra é rica e única.

“Ele mesclou a literatura clássica, medieval e nordestina, além do teatro clássico, resultando numa linguagem ímpar. Também podemos encontrar influências da Cultura Europeia, da Paraíba e bases regionalizadas do Nordeste nas obras de Suassuna”, salienta.

Idealizador do Movimento Armorial, que tem como objetivo criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro, por meio músicadançaliteraturaartes plásticasteatrocinemaarquitetura, Ariano fazia jus ao seu título de mestre.

ASSISTA A AULA-ESPETÁCULO DO MESTRE PARAIBANO

PROJETO ÊTRE AU SOLEIL – TINERÂNCIA

PROJETO ÊTRE AU SOLEIL – TINERÂNCIA

MACBETHmais recente montagem do THÊÀTRE DU SOLEIL

MACBETHmais recente montagem do THÊÀTRE DU SOLEIL

As Oficinas Culturais do Estado promovem, de 28 de julho a 2 agosto, itinerância de duas atividades do Projeto Être Au Soleil: o workshop “O Teatro é o Outro” e o espetáculo-conferência “Palavra de Ator”, realizados por integrantes da célebre companhia teatral francesa Théâtre du Soleil, dirigida por Ariane Mnouchkine. As atividades circularão pelas Oficinas Culturais Altino Bondesan, Pagu, Grande Otelo, Sérgio Buarque de Holanda, Tarsila do Amaral e Glauco Pinto de Moraes.

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS.

22° edição do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade abre as inscrições

vencedoresEstão abertas as inscrições para filmes e vídeos de curta e longa metragens, nacionais e  internacionais, para a 22° edição do Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, que acontece em São Paulo entre 13 e 23 de novembro e segue depois em turnê pelo Brasil.

O Festival MixBrasil é o maior evento cultural sobre a diversidade sexual da América Latina e um dos maiores do mundo. Desde 1993 traz para o Brasil os destaques da produção cinematográfica do gênero e leva para dezenas de festivais em todo mundo filmes nacionais.

O MixBrasil também está presente na tevê com o programa Cine MixBrasil, atualmente no ar com sua sétima temporada no Canal Brasil (toda terça 23h30).

As inscrições vão até 31 de agosto e pode ser feita pelo site:www.mixbrasil.org.br

Próxima semana: Tríptico Samuel Beckett está no Projeto De Vez em Quarta do Itaú Cultural

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

"TRÍPTICO SAMUEL BECKETT"

“TRÍPTICO SAMUEL BECKETT”

SÃO PAULO- Depois das apresentações dos espetáculos Eu Não Dava Praquilo, com Cassio Scapin e 45 minutos, com Caco Ciocler, o Itaú Cultural recebe na quarta, (30), Tríptico Samuel Beckett. A direção é de Roberto Alvim, também responsável por 45 minutos.  No elenco estão as atrizes Paula Spinelli, Juliana Galdino e Nathalia Timberg. O evento é gratuito e as senhas são distribuídas 30 minutos antes do iníci  da sessão. É recomendável, no entanto, chegar cedo porque a fila de espera é grande.

Continue lendo

Sai a lista dos indicados ao Prêmio Shell de Teatro pelo 1º semestre de 2014

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

Heroínas gregas em "Trágica.3". Foto: divulgação

Heroínas gregas em “Trágica.3″. Foto: divulgação

SÃO PAULO – A comissão de jurados do Prêmio Shell de Teatro, em 2014 formada por Carlos Colabone, Evaristo Martins de Azevedo, Lucia Camargo, Mario Bolognesi e Renata Melo, acaba de anunciar, os artistas indicados de São Paulo à 27ª edição do Prêmio. Os espetáculos dessa primeira lista concorrerão ao prêmio juntamente com os indicados do segundo semestre, em lista prevista para divulgação em dezembro.

ASSIM É (SE LHE PARECE)

ASSIM É (SE LHE PARECE)

 

A peça Trágica.3 – Electra Medéia Antígona é o grande destaque desta primeira lista, com cinco indicações: direção, atriz, figurino, iluminação e música. Assim é (se lhe parece) vem em segundo lugar no número de indicações, com três nomes na lista.

 

Confira a relação completa dos indicados do primeiro semestre ao 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo: Continue lendo

Crítica: Uma Reverência a Juca de Oliveira em Rei Lear

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com

"REI LEAR"com Juca de Oliveira. Foto: divulgação

“REI LEAR”com Juca de Oliveira. Foto: João Caldas

SÃO PAULO – Assistir a montagem de Rei Lear em cartaz no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura, é um programa indispensável para quem valoriza o bom teatro e um ótimo ator em cena.  A famosa história do inglês William Shakespeare parece reinventada para o bel prazer  do ator Juca de Oliveira, que com 60 anos de carreira arrebata a plateia interpretando os oito personagens da história.

A tradução e adaptação de Geraldo Carneiro, feita especialmente para ser um monólogo estrelado pelo veterano dos palcos, ganha um sabor especial com a direção de Elias Andreato – o mestre nos clássicos sem firulas. O diretor tem como característica “jogar” luz nos atores e valorizar o bom texto. E assim o fez em Rei Lear. Continue lendo

Crítica: Últimos dias para conferir Elis , A Musical no Teatro Alfa

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)Elis-A-Musical-destaque1

SÃO PAULO - Elis, A musical finaliza a sua temporada paulistana e sai de cartaz domingo (27). O espetáculo, que teve lotação esgotada no Teatro Alfa, recupera momentos significativos da trajetória de Elis Regina e apresenta personalidades de importância para a nossa cultura, entre eles: Miele, Jair Rodrigues, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Ronaldo Bôscoli e César Camargo Mariano. Com texto de Nelson Motta e Patrícia Andrade e direção de Dennis Carvalho, apresenta Laila Garin como Elis Regina.

Elis, A Musical não tem a pretensão de colocar em cena uma reconstituição fiel da vida da cantora (interpretada pela atriz Laila Garin), mas acompanha a trajetória profissional desde as primeiras apresentações, em Porto Alegre, até a consolidação do seu sucesso e a morte prematura. Continue lendo

Juca de Oliveira estreia Rei Lear em solo inédito na história teatral

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Este slideshow necessita de JavaScript.

SÃO PAULO- O “mago” dos solos teatrais, Elias Andreato, que já trouxe aos palcos personagens como Van Gog, Oscar Wilde, Artaud, entre tantos outros premiados solos que escreveu e interpretou, tem espalhado seu talento na direção de atores como Nilton Bicudo, Cássio Scapin e Débora Duboc, em espetáculos vibrantes interpretados por um único ator. O próximo solo dirigido por Andreato, Rei Lear, cuja estreia para o público será amanhã no Teatro Eva Herz, traz o ator Juca de Oliveira se dividindo entre oito personagens nessa adaptação da tragédia de Shakespeare.

Lear, rei da Bretanha, é um senhor de 80 anos de idade que decide abdicar do trono e dividi-lo entre suas três filhas, sendo que a mais jovem recusa a oferta, o que leva Lear a deserda-la, dividindo o reino entre as duas mais velha. O que o pai não esperava é que seria vítima de seus próprios rebentos, que, sem a menor cerimônia, não lhe dá abrigo nem assistência levando-o ao trágico desfecho.

A marca que torna essa montagem inédita no âmbito da história do teatro mundial é o fato da tragèdia escrita, em 1606, um dos últimos trabalhos de William Shakespeare (1564-1616), é ela ser interpretada por um único ator, Juca de Oliveira, em adaptação assinada por Geraldo Carneiro. Continue lendo

Teatro e outras artes por Michel Fernandes & Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: