ESPECTADOR PROFISSIONAL: PEÇA DE JÔ BILAC REVERENCIA VIDA E OBRA DE OSCAR WILDE

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

BEIJE MINHA LÁPIDE

BEIJE MINHA LÁPIDE

SÃO PAULO – Um olhar sensível e analítico para a vida e obra do escritor irlandês Oscar Wilde, sem pretender fazer uma biografia. Este o mote central do espetáculo Beije Minha Lápide, que acaba de estrear no SESC Consolação, Teatro Anchieta, em curta temporada. Um projeto que une a maturidade e experiência do grande ator Marco Nanini com a garra da jovem e talentosa Cia. Teatro Independente, que vem de premiados e prestigiados trabalhos (Cachorro, Rebu, Cucaracha).

BEIJE MINHA LÁPIDE

BEIJE MINHA LÁPIDE

Com direção de Bel Garcia e texto inédito de Jô Bilac, Nanini — que divide o palco com Carolina Pismel, Júlia Marini e Paulo Verlings — interpreta Bala, um personagem que é fã ardoroso de Wilde e ao mesmo tempo tem uma vida análoga ao escritor. Continue lendo

ESPECTADOR PROFISSIONAL: TANIA KHALILL E ANDRÉ GAROLLI VIVEM NO PALCO VÁRIAS SITUAÇÕES AMOROSAS

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

DEZ ENCONTROS

DEZ ENCONTROS

SÃO PAULO – Num jogo cênico envolvente, os atores Tania Khalill e André Garolli dão vida a cinco personagens, cada um, de classes sociais, profissões, personalidades e estilos de vida completamente diferentes que se encontram e travam relações amorosas conflitantes. Na peça do dramaturgo inglês David Hare, Dez Encontros (The Blue Room), dirigida por Isser Korik e que está em cartaz no Teatro Folha, os sentimentos mais pungentes entre um homem e uma mulher — amor, paixão, sedução, ciúme, traição, repulsa e atração sexual — são postos à prova em dez esquetes, recheadas de humor.

O dramaturgo britânico criou a peça The Blue Room, baseada no texto Reigen, escrito em 1897 por Arthur Schnitzler, já pensando em ser encenada por dois atores. De acordo com o diretor (que também assina a tradução da peça), todos os personagens do texto original foram transpostos para o universo urbano contemporâneo, com os encontros e desencontros apresentados de forma sintética.

O que prende a atenção do espectador é exatamente esta troca de situações e personagens a cada esquete: do casal do primeiro encontro, um permanece em cena e o outro volta na pele de um novo personagem para a cena seguinte, assim sucessivamente nos dez encontros, formando uma interessante ciranda. Continue lendo

Escola Superior de Artes Célia Helena realiza a primeira edição do Seminário São Paulo – Cena Contemporânea

Escola Superior de Artes Célia Helena realiza a primeira edição do Seminário São Paulo – Cena Contemporânea

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

seminarioSÃO PAULO- A abertura do Seminário São Paulo– Cena Contemporânea será no aniversário da cidade de São Paulo, domingo (25), às 18h, com mesa de debate. Os demais eventos acontecem entre os dias 2 e 6 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, sempre às 20h00, no Teatro Célia Helena,localizado na Liberdade, com entrada gratuita. Realizado pela Escola Superior de Artes Célia Helena – ESCH, por meio do Instituto Raul Cortez, e copatrocínio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, o Seminário pretende aprofundar temas relevantes para a atividade teatral atual.

O encontro contará com a participação de artistas e profissionais que atuam nas mais diversas áreas. “Será uma rara oportunidade de refletirmos sobre as especificidades do nosso ofício, com algumas das vozes mais atuantes no cenário teatral paulistano”, diz a atriz e diretora da ESCH, Lígia Cortez.

O objetivo do Seminário é sublinhar e fomentar o campo reflexivo e crítico que circunda a atividade teatral, ampliando as possibilidades de diálogo entre os diversos agentes teatrais da cidade e contribuindo para fortalecer uma arte efêmera artesanal, de alto custo e baixo retorno financeiro, mas com imensurável valor no que se refere às humanidades e à cultura em geral.

A programação conta com mesas sobre dramaturgia, crítica teatral, formação de atores, políticas de financiamento, ocupação de espaços alternativos e especulação imobiliária.

Os participantes serão André Carreira, Antonio Grassi, Antonio Luiz Dias Januzelli, Beth Néspoli, Bosco Brasil, César Vieira, Claudia Schapira, Eugênio Lima, Hugo Possolo, José Fernando de Azevedo, Lígia Cortez, Matteo Bonfitto, Nabil Bonduki, Nelson de Sá, Oswaldo Mendes, Rudifran Pompeu, Samir Yazbek, Sérgio Luís Venitt de Oliveira e Tião Soares.

SAIBA MAIS EM www.celiahelena.com.br

Serviço:

Seminário São Paulo – Cena Contemporânea

Abertura: 25 de janeiro de 2015, às 18h00

De 2 a 6 de fevereiro de 2015, às 20h00

Local: Teatro Célia Helena – Rua Barão de Iguape, 113 – Liberdade, São Paulo (SP)

Ingresso: gratuito com reserva pelo e-mail

cenacontemporanea@celiahelena.com.br

Inscrições abertas para o projeto Conexão Cultural

Inscrições abertas para o <i>Projeto Conexão Cultural</i>

conexaoBRASIL – Até o dia 08 de fevereiro a Magma Cultura recebe os projetos de grupos teatrais interessados em participar do Conexão Cultural, festival que chega a sua sétima edição e tem por objetivo levar espetáculos de graça para pessoas carentes em 8 cidades de 7 estados brasileiros – Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina, Alagoas e São Paulo  -, entre 18 de março e 23 de maio.

Os grupos interessados devem ter em seu repertório espetáculos infantis e infanto-juvenis com duração aproximada de 40 a 50 minutos. Este ano o Conexão também terá apresentações para o público adulto. Para esses espetáculos – um por semana – estão sendo selecionados textos de humor – em formato Stand Up – de grupos ou artistas solo. As peças são encenadas em uma estrutura móvel montada em praças e outros pontos de fácil acesso para a população.

O Conexão Cultural Tigre/ICRH teve a primeira edição em 2008 e desde então já chegou a mais de 430 mil pessoas em cidades dos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Alagoas e Pernambuco. No total, 50 companhias teatrais realizaram mais de 900 apresentações de espetáculos que alegraram milhares de pessoas, em sua absoluta maioria em comunidades carentes e sem acesso a diversidade de atrações culturais.

Os grupos interessados em se integrar ao projeto devem enviar material dos espetáculos ou esquetes, links para vídeos, clipagens, fotos e outros materiais que julgarem importantes para o e-mail:producao1@magmaplus.com  aos cuidados de Felipe Esteves até o dia 08 de fevereiro de 2015.

Informações: http://conexaocultural.tumblr.com/

O projeto é aprovado pela Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e patrocinado pela Tigre e Instituto Carlos Roberto Hansen.

ENTREVISTA: MAURÍCIO XAVIER ENTRE SP E RJ

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (Nanda@aplausobrasil.com.br)

_MG_9646SÃO PAULO – Maurício Xavier tem larga experiência em musicais. Entre os trabalhos estão  Òpera do Malandro e Gota D Água (direção Gabriel Villela), Godspell, Os Produtores e  Xanadú, direção de Miguel Falabella, Avenida Q, dirigido por Moeller e Botelho; 2011 e New York, New York, com direção de José Possi Neto. Morou por quatro anos na Alemanha, integrando o elenco de O Rei Leão.

É conhecido pelo chamado grande público por sua participação seriado Pé na Cova, da Rede Globo, com redação final de Miguel Falabella, que também participa como ator. No programa, Xavier interpreta Marcão e Markassa, mecânico de dia e travesti à noite.

Outro momento importante na TV foi Dalva e Herivelto – uma canção de amor, no papel de Nilo Chagas.

Em entrevista concedida ao Aplauso  Brasil, o ator fala de sua carreira no teatro e na TV e da peça As Noviças Rebeldes.

Aplauso Brasil – As Noviças Rebeldes está completando quase 30 anos de existência. Chegou a assistir? Continue lendo

CRÍTICA: AS NOVIÇAS REBELDES DIVERTEM O PÚBLICO NO THEATRO NET SÃO PAULO

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (Nanda@aplausobrasil.com.br)

AS NOVIÇAS REBELDES

AS NOVIÇAS REBELDES

SÃO PAULO- As Noviças Rebeldes- o musical, de Dan Goggin, já foi encenado em pelo menos 26 idiomas, com mais de 8.000 produções em diversos países.  O espetáculo que está em cartaz no Theatro Net, na capital paulista, estreou quase 30 anos depois da primeira montagem  off-Broadway, que entrou em cartaz em dezembro de 1985, na cidade de Nova York.  Na produção  brasileira, a tradução e a adaptação são assinadas por Flávio Marinho. A direção é de Wolf Maya. Integram o elenco: Maurício Xavier, Soraya Ravenle, Sabrina Korgut, Carol Puntel e Helga  Nemeczyk.

A versão brasileira da comédia musical de Goggin  estreou em 1987, com direção de Wolf Maya e elenco feminino. Posteriormente, o musical foi montado pela Cia Baiana de Patifaria, com elenco totalmente masculino e que também contou com a direção de Wolf Maya.

O público acompanha a história de cinco freiras que saíram da Irmandade de Salue Marie para jogar bingo em outro convento. As 52 freiras que ficaram no local morreram, vítimas de botulismo ao tomarem uma sopa feita com legumes enlatados vencidos. Continue lendo

GRUPO DE TEATRO CEARENSE LEVA ESPETÁCULO PARA CEMITÉRIOS DE SÃO PAULO

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br) 

ALEM DOS CRAVOS

ALEM DOS CRAVOS

SÃO PAULO- O EmFoco Grupo de teatro, de Fortaleza, traz em seu repertório produções inusitadas, ocupando espaços alternativos como ônibus, residências a até mesmo cemitérios. Em São Paulo, a trupe apresenta dois espetáculos: Além dos Cravos no Cemitério da Consolação, no São Paulo e Araçá, entre 17 de janeiro a 15 de fevereiro de 2015 – Sexta a domingo às 16h; e Jardim das Espécies na Casa Amarela Ateliê Compartilhado, com três apresentações: 26 de Janeiro, 2 e 9 de fevereiro de 2015, às 20h. A temporada é gratuita.

Num primeiro momento a ideia de encenar Além dos Cravos dentro de cemitérios, os utilizando como um lugar para a experimentação artística, pode soar de modo estranho, mas o objetivo do grupo é provocar o espectador e fazê-lo refletir sobre a finitude humana, o tabu da morte e a sua relação com os outros acontecimentos da vida. Continue lendo

Última peça dirigida por José Wilker traz o ator Ary Fontoura

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (Nanda@aplausobrasil.com.br)

O COMEDIANTE

O COMEDIANTE

SÃO PAULO – O Comediante, último trabalho de José Wilker (que faleceu antes da peça estrear. Anderson Cunha assumiu a montagem após sua morte), é livremente inspirado no clássico do cinema americano Sunset Boulevard (Crepúsculo dos Deuses), obra prima de Billy Wilder, e conta a história de um ator, vivido por Ary Fontoura, que, em sua velhice, não distingue o que é ficção e realidade. Vindo de bem-sucedida temporada carioca, o espetáculo estreia sexta-feira (16), às 21h30, no Teatro Raul Cortez.

A peça fala sobre o tempo, a velhice, a solidão, a vaidade, a finitude do homem e, sobretudo, sobre a vida de pessoas comuns que terminam os seus dias solitários e ainda não perderam a sua capacidade de sonhar. Segundo Anderson Cunha, “mistura drama, emoção e humor para mostrar a história de um velho ator deslumbrado com a sua imagem, que vive num mundo paralelo, entre a realidade e a fantasia”.

Ary Fontoura, após sete anos afastado dos palcos, interpreta Walter Delon, um homem decadente, à beira da loucura, que vive das lembranças do passado em um universo de thriller e suspense. Continue lendo

LUTO: ADEUS DONA MÁRCIA

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

DONA MÁRCIA E KYRA

DONA MÁRCIA E KYRA

SÃO PAULO – Na manhã de ontem uma terrível notícia chegou a meu celular: “Michel, a mãe da Kyra morreu”. Não podia ser! A mãe-mais-que-mãe de nossa editora-assistente Kyra Piscitelli, a dona Márcia? Sim, ela estava internada, em estado grave, desde o início do ano, mas acreditava – e desejava – que ela sairia dessa. Por que gostava muito dela e por que sabia como ela e a Kyra eram complementares e como a Kyra ficaria sem chão. Liguei pra Kyra e ela confirmou. Hora do silêncio ferido, do adeus Dona Márcia, da perda mais inquietante para um teatro, sobretudo o teatro musical,: a de um espectador.

DONA MÁRCIA

DONA MÁRCIA

Abaixo reproduzo o belíssimo texto que a Kyra postou hoje em sua página do facebook.

Como todos sabem ontem perdi minha mãe, minha parceira de vida. Nossa relação nunca foi de mãe e filha. Era mais do que isso, e quem nos viu e viveu conosco sabe. Dizem que os bons morrem cedo e hoje faz todo sentido isso pra mim. Continue lendo

Peça inspirada em vida e obra de Genet volta amanhã

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Genet: o poeta ladrão"

“Genet: o poeta ladrão”

SÃO PAULO – Vencedor do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro 2013 em duas categorias, Melhor Espetáculo de Produção Independente (Fraga & Ferrara Produções) e Melhor Figurino (Iraci de Jesus), Genet, o Poeta Ladrão, texto de Zen Salles e direção de Sérgio Ferrara, re-estreia amanhã, 21h, no Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca), em curtíssima temporada (até 12 de fevereiro), às quartas e quintas-feiras.

"Genet: O Poeta Ladrão"

“Genet: O Poeta Ladrão”

O francês Jean Genet viveu sua juventude na companhia dos mais diversos escroques. Sua rotina de bandidagem, prostituição, reformatórios, prisões serviram de estofo para conceber sua obra. Jean Cocteau ficou encantado após ler Nossa Senhora das Flores, em que a protagonista é a travesti Divina, na peça ela também se destaca assim como o ator que a representa: Nicolas Trevijano. Continue lendo

Teatro e outras artes por Michel Fernandes & Colaboradores