Nona Edição do Palco Giratório acontece em Maio em Porto Alegre

Luís Francisco Wasilewski, do Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

AQUELES DOIS com a Cia.Luna Lunera

AQUELES DOIS com a Cia.Luna Lunera

PORTO ALEGRE – Evento que já é tradição no calendário cultural de Porto Alegre, O Festival Palco Giratório promovido pelo SESC chega à sua nona edição, que acontece de 2 até 25 de Maio.

Nos vinte e quatro dias de evento, o público terá acesso aos mais diversos espetáculos. Peças como A Casa Amarela, com Gero Camilo, que há anos está em cartaz em São Paulo, bem como Conselho de Classe, que comemora os vinte e cinco anos da Cia dos Atores, estão entre as grandes atrações da mostra. Continue lendo

Crítica: Irene Ravache e Dan Stulbach em texto comovente em que Deus procura terapia

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

MEU DEUS!

MEU DEUS!

Elias Andreato dirige a comédia Meu Deus! de Anat Gov, que propõe o encontro do Todo Poderoso, que está em crise, com uma terapeuta. Entre risos e surpresas, o público reflete sobre a existência

SÃO PAULO – Há muito um espetáculo não me emocionava tanto! Sai da sala do Teatro FAAP depois de assistir a comédia da dramaturga israelense Anat Gov, Meu Deus!, comovido e refletindo sobre minhas convicções sobre Deus. Com humor refinado, a autora — que prematuramente faleceu em 2012, vítima de câncer — provoca o espectador a refletir profundamente sobre a existência humana. Ao procurar uma terapeuta que se diz ateia, papel brilhantemente defendido por Irene Ravache, Deus, encarnado por Dan Stulbach, se mostra deprimido e em crise justamente pelo resultado e pelas ações de sua criação, nós os homens.

O texto é rico por transitar entre o humor — as cenas iniciais, em que o paciente se apresenta e a terapeuta revela sua incredulidade, são hilárias — e o drama, com reviravoltas surpreendentes e um desfecho tocante. Continue lendo

Crítica: OS Satyros estão de parabéns por 25 anos de vida!

Maria Lúcia Candeias, doutora em teatro pela USP e Livre Docente pela UNICAMP – (redacao@aplausobrasil.com)

ciborgursSÃO PAULO – Comemoram com sete peças que mostram para o público que estamos todos nos transformando em  ciborgues que estão sempre atentos a celulares, computadores e outros quase iguais. Essas mudanças, segundo o texto Não Amarás nos transformariam num ser humano que nunca existiu antes. São sete peças: Além da que já mencionamos temos os títulos a seguir que nos tornarão verdadeiras máquinas ou ciborques  Não Fornicarás, Não Morreras, Não Permaneceras!, Não Saberás, Não Salvarás e Não Venceras, Ou seja deixaremos de ser  gente como antes.

Esse receio é generalizado mas não necessariamente será tão radical.

O responsável pelos espetáculos é, como sempre, Rodolfo Garcia  Vazquez, auxiliado por vice diretores, ou diretores assistentes um em cada obra. Continue lendo

Noite inesquecível para o teatro reúne artistas e público

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

BÁRBARA  PAZ APRESENTOU O 2º PRÊMIO  APLAUSO BRASIL DE TEATRO

BÁRBARA PAZ APRESENTOU O 2º PRÊMIO APLAUSO BRASIL DE TEATRO

SÃO PAULO – Ao longo da vida, aprendi que cada nó que, à primeira vista, parece indissolúvel, pode ser desatado com perseverança, trabalho e fé. A noite de ontem, no Theatro São Pedro – gentilmente cedido pelo Secretário de Estado da Cultura de São Paulo, Marcelo Mattos Araújo – será inesquecível para o teatro e para mim que descobri que tem amigos como os meus  está pronto a desfazer quaisquer nós. Com desenvoltura e carisma de sobra, a talentosa atriz Bárbara Paz conduziu a cerimonia do 2º Prêmio Aplauso Brasil de Teatro reunindo artistas e público.

ANTUNES FILHO, LUÍZA LEMMERTZ E ZÉ CELSO NO 2º PRÊMIO  APLAUSO BRASIL DE TEATRO

ANTUNES FILHO, LUÍZA LEMMERTZ E ZÉ CELSO NO 2º PRÊMIO APLAUSO BRASIL DE TEATRO

Um dos momentos de maior  emoção foi o da premiação dos diretores Antunes Filho e José Celso Martinez Corrêa, figuras de proa na História do Teatro Brasileiro, que, em encontro inédito, subiram ao palco para receber, das mãos de Luíza Lemmertz (que já trabalho u com os dois), o Prêmio Aplauso Brasil de Teatro – homenagem especial.

Inesquecível momento para apaixonados por teatro encontrar dois artistas desse quilate que, leões incansáveis, continuam sua pesquisa estética, diferentes mas complementares, formando e difundindo seus conhecimentos. Continue lendo

O dia em que conversei com o Zé Wilker

 Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com)

Zé Wilker  como ator em A ''Cabra ou Quem é Sylvia". Foto: divulgação

Zé Wilker como ator em A ”Cabra ou Quem é Sylvia”. Foto: divulgação

São Paulo – O Brasil tomou um triste susto no sábado de 05/04. De forma inesperada, o ator Zé Wilker (1946 – 2014) nos deixou. Um infarto fulminante levou o ator, diretor e crítico de cinema do nosso mundo. Aquele que foi antes que esperássemos o “terceiro apito” marcou o mundo das artes. Ele parecia carregar a missão do conhecimento. E por isso, esse não é um obituário comum. Não seria possível. E essa, talvez, seja a razão da demora em escrevê-lo.

Depois de muito pensar em como homenageá-lo, resolvi escrever sobre um episódio particular: o dia em que ele veio falar comigo sobre um livro. Acredito que essa passagem inesquecível para mim defina bem o Zé Wilker: alguém que quer trocar informações; buscar novos pontos de vista e passar conhecimento. Continue lendo

Aplauso Brasil ganha troféu Inspiração do Amanhã da Cia Loucos do Tarô

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com)

Aplauso Brasil é homenageado com troféu "Inspiração do Amanhã". Na foto parte da equipe do site: Felipe Paulino; Michel Fernandes; Kyra Piscitelli; Nanda Rovere (da esq. para dir.). Foto: Patricia Mannaro

Aplauso Brasil é homenageado com troféu “Inspiração do Amanhã”. Na foto parte da equipe do site: Felipe Paulino; Michel Fernandes; Kyra Piscitelli; Nanda Rovere (da esq. para dir.). Foto: Patricia Mannaro

São Paulo – O evento Inspiração do Amanhã reuniu personalidades do teatro, da música, do cinema e de entidades sócio-culturais para uma homenagem, na última terça-feira (08/04). O encontro reúne arte com trabalho social. Como entrada, cada convidado deveria levar um ovo de páscoa para ser doado à caridade.

Para o Aplauso Brasil foi uma honra ser homenageado ao lado de grandes nomes como Marina Lima, Letícia Navas, Fernanda Rodrigues, Rosa Maria, Toni Garrido, Igor Rickli, Teatro Oficina, entre outros nomes. Continue lendo

Jorge Takla dirige versão vibrante da ópera rock Jesus Cristo Superstar

Maurício Mellone, para o www.favodomellone.com.br – parceiro do Aplauso Brasil

JESUS CRISTO SUPERSTAR

JESUS CRISTO SUPERSTAR

Depois de versões pelo mundo, este clássico da história universal chega ao país pelas mãos do diretor brasileiro, em roupagem contemporânea. Com Igor Rickli, Negra Li e Alírio Netto nos papéis centrais

SÃO PAULO – Uma superprodução, com 28 atores em cena, 10 músicos sob a regência do maestro Marcos Aragoni, além de um conjunto deslumbrante de cenários, figurinos e iluminação. E, claro, a história tocante de Jesus Cristo em suas últimas semanas de vida contada no ritmo pulsante do rock. É neste clima que o espectador é envolvido desde os primeiros acordes de Jesus Cristo Superstar, em cartaz no Teatro do Complexo Ohtake Cultural.

A consagrada ópera rock, criada no início dos anos 1970 por Andrew Lloyd Webber e Tim Rice, chega ao Brasil com ares contemporâneos sem abandonar o caráter revolucionário da origem. Na versão de Bianca Tadini e Luciano Andrey e direção geral de Jorge Takla, os atores se vestem de jeans, coro, botas e adereços modernos. Continue lendo

50 anos do Golpe: Teatro de Narradores traz tema para o palco em dois espetáculos gratuitos

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com)

Foto do espetáculo "Retrato calado". Divulgação/ Rodrigo Pereira

Foto do espetáculo “Retrato calado”. Divulgação/ Rodrigo Pereira

SÃO PAULO – Em um momento em que os cinquenta anos do Golpe militar de 1964 é uma das principais pautas no País e parte da sociedade brasileira reflete sobre o que aconteceu, o Teatro de Narradores propõe uma dupla reflexão sobre as consequências deste ato em dois espetáculos: Ensaio Sobre O Sim e o Não (sextas-feiras, às 21h) e Retrato Calado Primeira Parte Cena Primitiva (sábados, às 21h e domingos às 19h). Ambos estarão em cartaz no Teatro João Caetano, com ingressos gratuitos. As temporadas terminam respectivamente dias 25 e 27 de abril de 2014.

A concepção, espaço cênico, dramaturgia e direção geral é de José Fernando de Azevedo. Em Junho de 2013, o grupo abriu o processo de elaboração desses materiais ao público, no sesc Belenzinho.

Para que o público conheça o projeto, o grupo disponibilizou um TRECHO do espetáculo RetratoCalado Primeira Parte Cena Primitiva:

Continue lendo

Crítica: Cia. de Dois destaca-se no Fringe

Michel Fernandes*, do Aplauso Brasil (Michel@aplausobrasil.com)

O ARQUITETO E O IMPERADOR DA ASSÍRIA

O ARQUITETO E O IMPERADOR DA ASSÍRIA

SÃO PAULO – Já de volta desta ode às artes cênicas que é o Festivall de Teatro de Curitiba, algumas considerações sobre o que vi devem ser feitas. Este texto fala sobre um dos destaques da Mostra Ademar Guerra (Fringe), cujas sessões estavam sempre lotadas e eram marcadas por aplausos e comentários bastante entusiasmados, o espetáculo O Arquiteto e O Imperador da Assíria, de Fernando Arrabal, com a Cia. de Dois, de São José dos Campos (interior de São Paulo).

 Um acidente aéreo deixa o único habitante da ilha assustado a ponto de tentar enterrar a própria cabeça na areia. O único sobrevivente entra e cutuca o habitante que está com a cabeça sob areia e pede auxílio para o único sobrevivente do avião que acaba de cair, no caso ele mesmo, e o aborígene responde com sons guturais. Blackout. Continue lendo

Eduardo Moscovis vive um homem prestes a ficar cego no teatro

Nanda Rovere, do Aplauso Brasil (nanda@aplausobrasil.com)

Ator Du Moscovis faz monólogo curto na Cinemateca. Foto: Divulgação.

Ator Du Moscovis faz monólogo curto na Cinemateca. Foto: Divulgação.

O Livro traz para os palcos o ator Eduardo Moscovis, que vive um personagem prestes a perder a visão. Depois de temporadas no Rio de Janeiro, apresentações por diversas cidades brasileiras e uma única apresentação em São Paulo, no Itaú Cultural, a peça entra em cartaz na Cinemateca Brasileira, para uma temporada de dois meses. A direção de Christiane Jatahy e a autoria de Newton Moreno, um dos grandes nomes da dramaturgia atual.

O texto de Moreno é o ponto de partida para questionamentos sobre o poder da visão e da palavra.

O personagem, sem nome, recebe um livro do seu pai. Esse livro já passou por diversos membros da família que possuem uma doença degenerativa que causa cegueira. Continue lendo

Teatro e outras artes por Michel Fernandes & Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: