CRÍTICA: “ENQUANTO AS CRIANÇAS DORMEM” FAZ RIR DE SONHOS VENDIDOS NOS MUSICAIS

0
505
[metaslider id=21331]

Kyra Piscitelli, do Aplauso Brasil (kyra@aplausobrasil.com.br)

SÃO PAULO – O espetáculo Enquanto As Crianças Dormem entra em reta final da segunda temporada, no Teatro Viradalata, onde está em cartaz as sextas-feiras. A primeira temporada rendeu ao antimusical quatro indicações ao Prêmio Aplauso Brasil. De autoria de Dan Rosseto, a peça tragicômica – que não é exatamente um musical – nos transporta para a dura vida real, onde os atos e até os sonhos têm consequências.

Quanto da Broadway e do sonho americano cabem na vida real?  É isso que acompanhamos por meio da história da protagonista Kelly, uma fã do musical O Mágico de Oz, que trabalha como atendente de uma rede de fast-food e sonha em imigrar para a América e se tornar uma atriz de musical na Broadway.

Enquanto As Crianças Dormem se divide em dois atos, como os bons musicais, permeado por humor, tragédia e drama. Sonhos e pesadelos que se mesclam e se difundem. Difícil saber o que é positivo ou negativo. Como a vida real.

O espetáculo com cenário e figurinos simples, traz em cada detalhe elementos da cultura americana e da Broadway em cada detalhe: de plumas, aos tênis All Stars.

A peça tem a trilha sonora original composta pelo cantor, ator e compositor Fred Silveira, que está presente em cena – mesmo sem ser ao vivo – e também faz uma curiosa participação em off.

Corajosa nas críticas que faz e com interessante roteiro para puxar o público da plateia para a vida real, Enquanto As Crianças Dormem poderia ter sua trilha original sem ser gravada. Afinal, escolheram atores sem experiência em musical e, caso o fizessem, tudo sem efeito, seria ainda mais real, tal qual o texto.

Enquanto As Crianças Dormem faz uma crítica dos formatos copiados que vemos por aqui, cria algo autoral, brasileiro e nos faz rir dos sonhos que compramos e confrontar nossos pesadelos. Ensina a velha máxima que cada ação tem uma reação, sem ser didático ou exatamente pesado.

 

FICHA TÉCNICA:

Texto e direção: Dan Rosseto

Direção de produção: Fabio Camara

Assistente de direção: Diogo Pasquim

Elenco: Carol Hubner, Carolina Stofella, Diogo Pasquim, Guilherme Araújo, Haroldo Miklos, Juan Manuel Tellategui, Roque Greco e Samuel Carrasco

Produção executiva: Roque Greco

Assistente de produção: Ana Clara Rotta

Trilha sonora original: Fred Silveira

Letras originais: Dan Rosseto

Figurinos: Kleber Montanheiro

Assistente de figurino: Marina Borges

Cenário e adereços: Luiza Curvo

Cenotécnico: Domingos Varela

Desenho de luz: César Pivetti e Vania Jaconis

Preparação de elenco: Amazyles de Almeida

Direção de movimentos e coreografias: Alessandra Rinaldo e João Sá

Operador de luz e som: Jackson Oliveira

Designer gráfico: André Kitagawa e Francine Kunghel

Fotos: Leekyung Kim

Assessoria de Imprensa: Fabio Camara

Realização: Applauzo Produções e Lugibi Produções Artísticas

 

SERVIÇO:

LOCAL: Teatro Viaradalata, Rua Apinajés, 1387 – Sumaré. 241 lugares (Estacionamento conveniado em frente)

DATA: 15/09 até 27/10 (Sexta 21h)

INFORMAÇÕES: 3868 3525

INGRESSOS: R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia)

DURAÇÃO: 120 min

CLASSIFICAÇÃO: 14 anos

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, preencha seu nome

*