PROJETO DO SESC ITAQUERA COLOCA A ZL NO CENTRO DAS ATENÇÕES

0
1223
SESC Itaquera. Foto: Arquivo/SESC

SÃO PAULO – Localizado em uma reserva ambiental e ocupando uma área de Mata Atlântica com mais de 350 mil m², o SESC Itaquera destaca, no mês de janeiro o projeto A Zona Leste é o Centro, com shows e apresentação de companhias de teatro e dança, além de escritores, músicos e artistas plásticos em A Zona Leste é o Centro

A programação é gratuita. A ideia é dar visilibidade para os grupos e artistas da zona Leste da cidade, que extrapolam e influenciam o repertório cultural de toda a população.

Confira a programação:

Música – Movi…Mento

Com Lika Rosa

Dia 14 de janeiro, domingo, das 16 às 17h15

Na Praça de Eventos. Livre

 

Lika Rosa é cantora, atriz, compositora e poeta. MPB, hip hop, samba e jazz influenciam a artista que possui mais de 10 anos de trajetória e se consolidou como um dos principais nomes da cena independente na zona Leste. O projeto que virou disco – Movi…Mento – foi lançado em 2012São 13 faixas entre canções e poemas musicados. No palco, Lika une interpretação cênica (teatro do improviso), música e poesia, propondo a transformação da realidade em reflexão, e a reflexão em ação espontânea e participativa do público. As músicas trazem letras em tom autobiográfico que falam de militância, cultura drag e autoestima.

 

A artista começou carreira no projeto desenvolvido pela Cia Estável, surgindo mais tarde duas contemplações do projeto do VAI (valorização de iniciativa culturais) de criação de um espetáculo e desenvolvimento de aulas com foco em interpretação, circo solo, aéreo e musica, com dois grupos seguidos dos Projeto Amigos da Multidão: Mentecorpos do Balaio, com espetáculo Numa Roda  e Colcha de Retalho, com contos infantis, entre outros. No repertório do show estão Terra Desconhecida Pra Te Dizer Adeus.

 

______________________________________________

 

Música – Olhos Negros Vivo

Com Renato Gama

Dia 21 de janeiro, domingo, das 16 às 17h15

Na Praça de Eventos. Livre

 

Renato Gama é músico, produtor, compositor, escritor e ator. Ele vem desenvolvendo canções a partir de textos de poetas jovens e de escritores já consagrados como Conceição Evaristo, Paulo Rafael, Alan da Rosa, Danilo Monteiro, Luciano Costa, Daisy Serena, entre outros. Em 2017 gravou seu primeiro álbum solo, ao vivo, Olhos Negros Vivo. O disco traz uma mistura de jazz, samba e rap, amalgamando da melhor forma o som que se fazia nos antigos quintais da periferia. O artista aborda a ancestralidade e o cotidiano periférico. Na apresentação, Renato Gama irá contar com as participações especiais de Tita Reis, Mariana Per e Nereu Mocotó. No repertório do show estão Flow da Preta, Vai Bem e Banzo.

 

_________________________________________________

 

Música – O Proceder

Com Gloria Groove

Dia 28 de janeiro, domingo, das 16 às 17h15

Na Praça de Eventos. Livre

 

Mistura improvável do rap, um universo predominantemente masculino, com o imaginário colorido e cintilante das drag queens, a artista de 22 anos nasceu Daniel Garcia e foi criada na Vila Formosa. Lançou no ano passado seu primeiro álbum, O Proceder. O disco contém oito faixas de trap (gênero que mescla rap com batidas eletrônicas), a maioria de sua autoria. As músicas trazem letras em tom autobiográfico que falam de militância, cultura drag e autoestima. A artista ganhou notoriedade na mídia no inicio de 2016 com o videoclipe da  música Dona. Gloria faz sucesso no YouTube, com milhões de seguidores. Alguns de seus hits são: Império, Catuaba, Gloriosa e Muleke Brasileiro. É influenciada pela música gospel e por artistas negros norte-americanos da década de 70. Suas letras falam de empoderamento e visibilidade.

 

 

____________________________________________________________

 

Teatro Infantil – Mário e as Marias

Com Cia Lúdicos de Teatro Popular 

De 17 a 19 de janeiro. Quarta a sexta-feira, das 14 às 15 horas

Dia 21 de janeiro, domingo, das 13h30 às 14h30

Na Praça de Eventos. Livre

 

Inspirado na vida e obra de Mário de Andrade, o espetáculo Mário e as Marias conta a história de amor entre o escritor e suas Marias, suas paixões. Durante sua busca por essas Marias, ele é presenteado por seu pais com um par de óculos especiais, que ampliam seu olhar, fazendo com que ele enxergue o Brasil de uma forma surpreendente e viva uma série de aventura.

 

A Cia Lúdicos de Teatro Popular surgiu em 2000. Investiga a popularização de linguagens, priorizando essencialmente as diversas possibilidades de discursos poéticos e ideológicos por meio de dramaturgias além da palavra. Para dar suporte à prática, explora expedientes do teatro épico e popular, entre eles, a música e a construção de discursos poéticos além-realistas, a fim de que se estabeleça uma partilha entre espetáculo e público.

 

Ficha técnica

 

Dramaturgia: Cia Lúdicos de Teatro Popular Elenco: Alba Brito, Gizele Panza, Jéssica Nascimento, Juliane Pimenta, Vera Carnevali, Aila Rodrigues (stand by), Luana Curti (stand by) Cenários: Cia Lúdicos de Teatro Popular e As Mariposas (Maria Zuquim e Juliana Napolitano) Figurinos e adereços: As Mariposas Danças populares: Aurélio Prates Direção musical: Pedro Paulo Bogossian Direção Geral e produção: Gira de Oliveira.

___________________________________________

 

Teatro Adulto – Em Caso de emergência Quebre o Vidro!

Com Cia do Miolo

Dia 20 de janeiro, sábado, das 15h30 às 16h30

Na Praça de Eventos. Livre

 

Fruto de um ano e meio de pesquisa no projeto Corpo Esgotado, o espetáculo apresenta cenas criadas a partir dos acontecimentos da cidade e revela o cotidiano absurdo em que o corpo está imerso. Figuras estranhamente familiares emergem da cena real para o teatro. Notícias de jornal, dramas do anonimato, sensacionalismo de TV e os esgotamentos da vida cotidiana passeiam pelas mãos e pelos imaginários dos integrantes do grupo e se transformam em disparadores para a dramaturgia do espetáculo.

 

A Cia do Miolo de Teatro de Rua surgiu no bairro da Penha em 2000, quando montou O Casamento Suspeitoso, de Ariano Suassuna, já com foco na pesquisa popular. Sua trajetória artística vem sendo norteada pelo desejo de provocar o encontro. Foi a partir desta necessidade que surgiu a decisão primeira: a opção pela rua. O teatro carece de intervir no espaço da vida real, afetando e deixando-se afetar pela vida dos espaços coletivos da cidade.

 

Os diversos espaços públicos da cidade são para a companhia o canal mais propício para o encontro contemporâneo. O grupo entende que o teatro pode criar fissuras, nestas ruas “de passagem”, gerar ações de resistência que restabeleçam seu sentido de encontro, reflexão, sensibilização, troca e expressão. Entre as montagens do grupo, destaque para O Burguês Fidalgo (direção de Bete Dorgam) e O Doente Imaginário, ambos de Molière; Alice!. adaptação urbana da obra de Lewis Carroll, com direção Fábio Resende e dramaturgia de Alexandre Krug. Atualmente está em pesquisa, via PROAC, o trabalho que estreará em Julho, Casa de Tolerância.

 

Ficha Técnica

 

Direção: Renata Lemes Assistente de direção: Iarlei Rangel Dramaturgia: Solange Dias. Direção Musical: Charles Raszl Atores pesquisadores: Alexandre Krug, Dudu Oliveira e Edi Cardoso Figurino e cenografia: Yuri Yamamoto e Deyvson Freitas Bonecos: André Mello Produção: Isabela Pimentel e Cia do Miolo Assistência de Produção: Rafael Procópio.

___________________________________________

 

Dança – Dança por Correio

Com Zumb.boys

Dia 27 de janeiro, sábado, das 15h30 às 16h30

Na Praça de Eventos

 

Na intervenção, dançarinos vestidos como carteiros entregam cartas para o público e, a partir delas, traduzem por meio da dança o que está escrito no papel. A ideia é desenvolver um diálogo não-verbal entre os intérpretes-criadores e os espectadores. O espetáculo, que é apresentado a partir de improvisos e jogos coreográficos. O desejo é comunicar-se com os transeuntes, viajantes de sua própria cidade e turistas de uma vida dedicada ao infinito trabalho e busca pelo conforto, utilizando corpos para traduzir as sensações de um “ser urbano”.

 

A intenção de Dança por Correio é interferir nos fluxos cotidianos, na paisagem urbana, fazendo com que as pessoas escolham uma carta, e a partir dessa escolha seja determinado o que será dançado, onde o intérprete-criador traduzirá os sentimentos e sensações que a carta expressou, com o intuito de transformar e interferir no trajeto das pessoas que por ali passam, diluindo a arte no cotidiano. Os Zumb.boys surgiram em 2007 no bairro Ermelindo Matarazzo.

 

Direção Geral: Márcio Greyk. Intérpretes-criadores: Danilo Nonato, David Xavinho, Eddie Guedes, Guilherme Nobre, Igor Souza e Márcio Greyk. Operador de som: Alex Araújo Produtor: Kelson Barros (Cazumbá Produções Artísticas)

 

__________________________________________________________

 

Oficina Artes Plásticas/ Passeios – Cidades de Argila

Com Ju Violeta

Dia 21 de janeiro, domingo, das 14 às 17 horas

No Bosque dos Quiosques. Livre

 

Cidades de Argila apresenta de maneira lúdica e poética o pensamento de cidades sonhadas e possíveis, aberta a todos os públicos, para que, juntos, possamos idealizar em qual cidade gostaríamos de viver. Na oficina serão confeccionadas peças em argila com formato livre e criativo através da inspiração do projeto e será realizada na Cidade das Plantas,obra da artista Ju Violeta que integra a Ocupação Periferias Latino-americanas, em cartaz no Sesc Itaquera.

 

Ju Violeta é uma artista interessada em reimaginar as cidades, para que possamos encontrar outros significados, experiências e formas de viver possíveis em nossos habitats, Sua proposta um ateliê aberto e livre, para que o público possa experimentar a matéria argila e deixar sua imaginação fluir através da mesma.

 

Ju Violeta tem formação técnica em moda, desenho e jardinagem. Iniciou seu trabalho artístico com pinturas nas ruas de São Paulo, em 2004. Além do grafite, pinturas, esculturas, colagens e assemblagens completam o seu repertório poético. Seus personagens carregam a força da natureza com linguagem lúdica e surreal, dando constante importância à militância pela proteção aos animais, à ecologia e à sustentabilidade. Inscrições no local.

 

______________________________________________________

 

Vivência Artes Plásticas e Passeios –

Mirar, Ocupar e Ativar: vivência em arte urbana

Com Coletivo Coletores

Dias 14 e 21 de janeiro, domingos, das 14 às 17 horas

No Bosque dos Quiosques

 

O projeto Mirar, Ocupar e Ativar é um desdobramento da obra Resiliência Convergência Reexistência, como um processo que lida com variadas interações entre tempo, corpo, memória e cidade. O público é convidado a viver e experimentar a linguagem estêncil por meio de variados moldes vazados, não apenas para interagir com a obra, mas também a se tornar colaborador e coautor.

 

Durante o processo os participantes terão a oportunidade de colaborar de forma mais aprofundada, aprendendo e aplicando variados moldes vazados elaborados junto com o Coletivo Coletores, assim como também poderão intervir de forma mais pontual se apropriando dos suportes e ferramentas disponíveis em todas as faces das estruturas que se encontram no Bosque dos Quiosques.

 

Coletivo Coletores foi formado em 2008, na periferia da Zona Leste, pelos artistas Toni William e Flávio Camargo. A  proposta é  trabalhar a cidade como meio e suporte para suas ações, a partir de conceitos como arte e jogo, arquitetura do precário, design social, arte interativa, arte relacional além do trânsito entre diversas linguagens como instalação, estêncil, web art, fotografia, interfaces de baixas tecnologias, game art, vídeo mapping e publicações impressas.

 

Sesc Itaquera – Av. Fernando do Espírito Santo Alves de Mattos, 1000, ItaqueraFuncionamento: De quarta a domingo, das 9h às 17h. Acesso à unidade: Grátis. Estacionamento: R$ 12 (credencial plena do Sesc) e R$ 24 (demais frequentadores). Telefone para informações: (11) 2523 9200. Transporte Público Sesc Itaquera: Metrô Itaquera – 7200m / Terminal São Mateus – 5200m.

Redação do Aplauso Brasil (redacao@aplausobrasil.com.br)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, preencha seu nome

*